quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Um dia da Educação


Não há nada para comemorar hoje, dentro do que eu entendo como vitória. Nossa educação é uma derrota, frente ao que poderia e deveria ser. Somos uma nação que trata com descaso os seus pequenos e jovens. Escolas destruídas, sem comida para merenda, sem livros, com professores mal remunerados - esse é o retrato do futuro do Brasil. Porque o futuro é construído exatamente ali, dentro das salas de aula. Deixando tudo ao abandono, como fazemos hoje em dia - sim, como fazemos, pois todos somos responsáveis por isso e não apenas os nossos governantes - estamos enlameando o caminho pelo qual passaremos nos próximos anos. Estamos trocando crianças e jovens bem-alimentados e educados por menores abandonados e deliquentes juvenis. A sociedade tem que por a mão na consciência e prestar bem atenção no que está fazendo. Não só o voto, mas a cobrança também é ferramenta para a participação na política.
Eduardo Paes, esse que habita o gabinete de nossa prefeitura, inaugurou a primeira das unidades de um projeto chamado EDI(Espaço de Desenvolvimento Infantil). Consiste, basicamente numa creche integrada à pré-escola, com assistência às crianças, como alimentação e saúde. Sinceramente, é a mesma história que se repete à cada mandato diferente: um eleito vem e destrói o projeto do outro, não dando continuidade ao que já estava sendo feito. É como se quisessem aparecer e brandir um artefato mágico na frente do povo: Achei! Eureka! Foi nesse espírito que se encerrou o projeto de educação integral nas comunidades carentes, pensado por Darcy Ribeiro há décadas atrás.
Por outro lado, acho que um dia bonito como esse, 15 de outubro - tão pertinho do dia das crianças - deveria ser dedicado não apenas aos professores mas à todos os que trabalham para a construção de cidadãos conscientes: as secretárias, pedagogas, merendeiras, serventes, porteiros, todos os que trabalham na escola. Por que não, em vez de um dia do professor, um dia da Educação?

Um comentário:

Anônimo disse...

Prezado Daniel Felismino,
Concordo com o que disseste a respeito do descaso dos governantes e de todos nós em relação à Educação. Falta Educação para tudo, inclusive para se ter Educação. Os salários de fome dos quais se tornaram reféns Professores em sua maioria quase absoluta têm acarretado todo esse descompasso, pois que adianta querer se dar uma Educação de primeira linha, se os principais atores de transmissão da mesma estão capengas, baqueados, nocauteados por esses salários aviltantes?
Uma boa noite, Prezado Daniel Felismino.