domingo, 10 de agosto de 2008

Quero Ser Arqueiro!


Ultimamente tenho desenvolvido um interesse muito grande na prática desportiva. Em especial as solitárias. Não sou muito bom nos esportes de grande apelo público, como futebol. Os que chamaram-me atenção até o presente dia são de certa formas solitários: corrida, trilha, bicicleta, entre outros. Mas um que, por toda a essência que carrega em sua prática, vem me saltando aos olhos é o arco e flecha. Estes dias, vendo cenas olímpicas aonde os atletas retesavam seus arcos e acertavam alvos a muitos metros de distância com o simples soltar de seus dedos, fizeram-me prestar atenção em como esse instrumento é belo e destruidor ao mesmo tempo. A força da flecha que corta os ares, com um zumbido que trás em suas essência o sabor da precisão, faz o coração do arqueiro praticamente ranger de satisfação quando vê o alvo perfurado.

No entanto, a pratica desse esporte parece ser bem cara. Uma belezinha de arco para iniciantes custa aproximadamente duzentos e cinqüenta reais. Isso creio eu que é só o arco e um terço de dúzia de flechas. Se o pretendente a arqueiro quiser praticar algumas aulas, o preço é bem salgado e os locais para o exercício são poucos. Apenas um clube na Tijuca e o Clube do Vasco da Gama e mais duas ou três instituições no Rio oferecem a atividade à população, por um preço nada modesto de por volta de cem reais a aula.

Descubro então, que pelo menos por enquanto, deverei deixar a pratica de tão nobre atividade apenas aos que podem, como Paulo Coelho por exemplo.

“Pobre mortal, descobres agora que te negam o exercício daquilo que te faz ter o teu sobrenome de caçador.”

Nenhum comentário: